Amamentar dói mesmo!

Amamentar dói.
Dói quando o bebê suga nos primeiros dias.
Dói quando machuca seu seio, sangra e mesmo assim você não desiste de alimentar o seu filho.
Dói acordar cinco ou mais vezes na madrugada para saciar a fome do neném faminto ou só pra ele sentir o seu cheirinho, mesmo você parecendo um urso panda de tão cansada e cheias de olheiras.
Entretanto, o que mais dói na amamentação é quando você percebe que uma hora ou outra isso vai acabar…
Que aquele contato tão genuíno entre você e aquele serzinho vai diminuir com a inserção de papinha e mamadeira. O coração aperta, o egoísmo de ver que agora ele ou ela não depende só de você sussurra em seu ouvido…
Naturalmente você pensa: será que o leite vai secar ? E se secar ?
Isso dói ! Dói muito! Dói mais que as sugadas dos primeiros dias, do peito sangrando ou machucado…
Você vai lembrar de cada olhar apaixonado e agradecido por cada mamada, cada carinho e beliscão, cada cheirinho apertado, cada momento juntinho, e o quanto de amor fez e faz parte desse processo.
Inspira. Respira. Transforma o apego em gratidão.
Agradece por não ter desistido, agradece pelo privilégio de viver cada um daqueles dias e aprender com as dores e amores tudo de puro que esse período proporciona…
É entrega, dedicação, união, superação e amor, sobretudo amor!
Se te disserem que é fácil. Desconfie!
Se disserem que não vai conseguir. Não ouça!
Se optar por não amamentar por qualquer razão que seja, tudo bem também!
Materne de forma livre, é você quem decide o que será melhor pra vocês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *