O Coliseu – Uma mistura de história e magnitude

Como disse em meu primeiro texto para a coluna, hoje vamos falar mais sobre esse gigante da arquitetura, palco de grandes batalhas no primeiro século d.C., e hoje uma das 7 maravilhas do mundo moderno: o Coliseu. E como todo jovem que assistiu ao filme “Gladiador”, visitar o local onde homens lutavam até a morte diante de uma plateia de 90 mil pessoas era um sonho antigo e, quando pude realizar, fiz questão de aproveitar todos os momentos.

 

Não gosto desses clichês que dizem que se você não visitar a principal atração de um lugar ou cidade, sua viagem não valeu a pena. Viajar é viver experiências diversas, se permitir conhecer o novo e, muitas vezes, fugir do convencional. Eu mesmo gosto muito de fazer isso, mas não podia deixar o Coliseu de fora do meu roteiro, e já adianto a vocês, valeu cada minuto.

 

Chegar até o Coliseu é fácil, além das várias linhas de ônibus que passam em frente ao local, há uma estação de metrô, da linha B, de nome – pasmem – Colosseo. Saindo da estação ele estará a sua frente, sem margem para erros.

 

O ingresso para o Coliseu também permite visitar outros dois locais muito significativos em Roma, o Fórum Romano e o Palatino. A visita ao Coliseu é com hora marcada, então uma simples programação é indispensável, até porque todos os dias as filas para visita-lo são enormes. É possível (e indicado) comprar o ingresso pela internet, de maneira fácil e prática. Existem duas possibilidades de visita: a que você compra o ingresso e faz a visita por conta, ou a visita guiada, que foi a que eu escolhi fazer. O ingresso simples custa €12,00 enquanto o ingresso com guia custa €18,00

Foi meu primeiro passeio com um guia e é o típico passeio que vale muito a pena fazer acompanhado. O guia conta a história do monumento, a importância de sua construção para o Império, as curiosidades de sua arquitetura e, claro, fala muito sobre as batalhas épicas e eternizadas que a população romana contemplava entre guerreiros, chamados gladiadores, e que em muitas vezes também envolvia grandes animais selvagens.

 

A sensação de entrar no Coliseu é especialmente única. Ao mesmo tempo você vê um anfiteatro colossal, e a história, os dois bem na sua frente. Impossível não se emocionar, lembrar de cenas do filme e realmente visualizar como era aquele lugar em sua total construção, com uma multidão gritando, aplaudindo, esbravejando e aclamando os guerreiros que ali digladiavam por suas vidas.

 

É possível ficar horas dentro do Coliseu. Fotografando cada ponto, imaginando como era o clima lá dentro em dias de eventos e, claro, como era perfeita a arquitetura de quase dois mil anos atrás, mesmo que com recursos limitadíssimos (se compararmos com hoje em dia). Foi uma visita que sem dúvidas me marcou e que sempre vai ficar guardada em minhas memórias. Lembra-se que para terminar a coluna de semana passada eu disse que Roma nos permite ser protagonistas de nosso próprio filme? Pois bem, no Coliseu é onde a principal cena desse filme acontece. Até semana que vem.

 

Henrique Oliveira

@henriquememo

One thought on “O Coliseu – Uma mistura de história e magnitude

  • Novembro 8, 2020 at 5:11 pm
    Permalink

    PARABÉNS PELO TEXTO HENRIQUE, MUITO BOM, E OBRIGADA POR COMPARTILHAR SUA EXPERIÊNCIA.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *